domingo, 6 de junho de 2021

Governo pode estender Auxílio Emergencial e adiar reforma do Bolsa Família

Prorrogação pode ocorrer até o final de 2021

O Governo Federal avalia a possibilidade de prorrogar o pagamento do Auxílio Emergencial e adiar a reforma no programa Bolsa Família, que estava prevista para começar em agosto. A possibilidade surge diante da pressão do Congresso Nacional, conforme informações divulgadas pelo jornal "O Globo".

Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro defendem o Auxílio Emergencial como uma estratégia eficaz de melhorar a popularidade e agradar a base aliada em meio a uma possível terceira onda de Covid-19 e crescente desemprego e pobreza.

Para a base do presidente no Congresso, o auxílio emergencial pode ser prorrogado por até mais quatro parcelas caso a situação econômica do país continue como está, lançando a prorrogação até o fim de 2021.

A intenção é evitar um vácuo entre o fim do pagamento do Auxílio Emergencial e o novo Bolsa Família, permitindo uma "rampa de acesso" entre os benefícios.

Como não há um desenho fechado para a nova versão do Bolsa Família, encerrar o auxílio poderia criar sensação de descontinuidade.


ORÇAMENTO

A extensão do auxílio emergencial não deve ultrapassar R$ 44 bilhões, valor já autorizado pelo Congresso. Foram desembolsados, até agora, R$ 18,6 bilhões para o benefício em 2021.

Porém, para bancar o Bolsa Família, ainda não foi encontrada uma fonte permanente de recursos, o que provocou o atraso nas discussões sobre o programa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!