terça-feira, 4 de maio de 2021

Ministério da Saúde recomenda intervalo maior entre as doses da Pfizer

Intervalo passa agora a ser de 12 semanas, superior aos 21 dias previsto na bula


O Ministério da Saúde decidiu recomendar aos gestores de saúde nos estados e municípios que façam um intervalo de 12 semanas entre a aplicação da primeira e a segunda dose da vacina contra Covid-19 da Pfizer, como forma de ampliar o alcance da vacinação.

O intervalo no entanto é superior ao período de 21 dias recomendado pela Pfizer na bula do imunizante, com base nos testes de segurança e eficácia da vacina.

Em informe técnico, o ministério citou dados de uma entidade que assessora a imunização no Reino Unido que orientou a ampliação do intervalo entre as doses para 12 semanas. Segundo o documento, essa recomendação levou em consideração a possibilidade se imunizar um maior público com a primeira dose, o que "traria maiores benefícios do ponto de vista de saúde pública, considerando a necessidade de uma resposta rápida frente a pandemia de Covid-19".

Em nota, a Pfizer Brasil informou que as indicações sobre regimes de dosagem ficam a critério das autoridades de saúde e podem incluir recomendações seguindo os princípios locais de saúde pública, mas citou o período recomendado pela bula.

"A bula hoje registrada pela Anvisa preconiza um intervalo entre doses, preferencialmente, de 21 dias. A segurança e eficácia da vacina não foram avaliadas em esquemas de dosagem diferentes, uma vez que a maioria dos participantes do ensaio recebeu a segunda dose dentro da janela especificada no desenho do estudo", disse a farmacêutica norte-americana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!