sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Às vésperas do dia da Consciência Negra, homem negro é espancado até a morte em Porto Alegre

 


Um crime brutal aconteceu na noite da última quinta-feira (19) em Porto Alegre, no Sul do Brasil, quando um homem negro, identificado como João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado até a morte, às vésperas do dia da Consciência Negra, no estacionamento do supermercado Carrefour. 

Os agressores foram identificados como sendo um segurança da loja, um policial militar temporário de folga, que teriam agredido João, após um desentendimento entre o homem e uma funcionária do supermercado. 

Segundo a Brigada Militar, a confusão teria começado no caixa do supermercado, envolvendo João e uma funcionária. A vítima, fazia compras com a esposa e teria ameaçado agredir a funcionária, que chamou a segurança.

O PM temporário e o segurança teriam encaminhado João Alberto Silveira Freitas para fora do estabelecimento, levando-o para o estacionamento onde ocorreu o espancamento. 

Segunda a polícia, João não teria aceitado sair do local, iniciando uma briga corporal com os dois seguranças, no entanto, de acordo com a verdão de testemunhas presentes no local, João teria sido seguido até a saída da loja, sendo espancado no estacionamento. 

A Polícia Civil começou a ouvir os envolvidos no crime ainda na madrugada e segundo o delegado Leandro Bodoia, plantonista da Delegacia de Homicídios, a funcionária do Carrefour, que atua como fiscal de caixa, afirma que João teria feito um gesto que ela interpretou como uma tentativa de agressão. A mulher se sentiu ameaçada e chamou os seguranças, que levaram o cliente para fora do estabelecimento.

A polícia ainda não teve acesso ao sistema de imagens do supermercado que mostrariam o início da discussão, porém, analisou outros vídeos em que João é o primeiro a dar um soco na cara do policial temporário, dando início ao espancamento. 

A esposa de João, que estava com ele fazendo compras no local, também foi ouvida e disse que os dois eram clientes habituais do supermercado e confirmou a discussão entre João e a funcionária, no entanto, segundo a esposa, o gesto de João teria sido uma brincadeira. 

A polícia ainda investiga a atuação do PM na ação. Relatos iniciais dão conta que ele trabalhava como segurança do supermercado, porém, segundo testemunhas, ele estava como cliente do supermercado e, ao presenciar a discussão entre a funcionária e o cliente, decidiu intervir.

Os dois homens foram presos em flagrante por homicídio qualificado, quando há intenção de matar. 

A Revista Queimados teve acesso a dois vídeos o de um deles mostra parte da agressão e outro com a tentativa de reanimação de João. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!