terça-feira, 22 de setembro de 2020

Milicianos de Queimados estariam envolvidos em invasões de Favelas no Rio

 


Segundo reportagem divulgadas pelo jornal Extra, o grupo de milicianos que atua em Queimados, na Baixada Fluminense vem ampliando seus domínios e teriam participação na disputa do tráfico de drogas do Rio de Janeiro desde 2018. 

O jornal revelou uma investigação da DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense) que aponta uma união entre o grupo que atua em Queimados com milicianos da Zona Oeste,.considerados pela polícia como o maior grupo paramilitar do estado. 

Ainda de acordo com a investigações, o grupo que atua em Queimados teriam ajudado a milícia a invadir as favelas da Praça Seca, na Zona Norte, de Antares, na Zona Oeste, e Grão Pará, em Nova Iguaçu.

O Extra revelou ainda a existência de uma espécie de trato entre as milícias da Zona Oeste e da Baixada, que prevê auxílio mútuo: Ecko envia reforços para Queimados para que a milícia local aumente o controle sobre o território e, em troca, os paramilitares da Baixada precisam fornecer homens e fuzis em casos de invasões que interessam a Ecko. Em Queimados, já é possível notar o resultado da parceria: em agosto, dois milicianos de Campo Grande, na Zona Oeste, foram presos em na cidade por agentes da distrital do município, a 55ª DP.

De acordo com a polícia além dos milicianos de Queimados, grupos de Nova Iguaçu também estariam envolvidos no acordo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!