terça-feira, 28 de julho de 2020

Mandato mantido: TRE nega pedido e Max Lemos segue no mandato


A briga entre os Picciani e Max Lemos ganhou um novo capítulo. Após ter seu mandato de deputado federal cassado pelo TRE/RJ (Tribunal Regional Eleitoral) no último dia 15, quando foi acusado de infidelidade partidária, o ex prefeito de Queimados recorreu da decisão e teve o mandato recuperado em nova decisão do TRE. 

Picciani que já dava como certa a saída da Max como certa terá que esperar agora por um novo julgamento, dessa vez pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em Brasília. 


Entenda melhor a história: 


A briga política entre Max e a família Picciani começou quando o ex prefeito de Queimados trocou o MDB (partido comandado por Leonardo Picciani) e partiu para o PSDB, tendo feito essa troca fora da janela eleitoral. 

Contrariado Leonardo acusou o deputado de infidelidade partidária, exigindo a perda imediata do mandato do agora Tucano, Max Lemos, o que aconteceu no primeiro julgamento dia 15 de julho quando Max teve o mandato cassado por 3 votos a 2. 

O Tucano recorreu da decisão por entender que a perda do mandato de um deputado não pode ocorrer de forma imediata, ressaltando ainda os mais de 60 mil votos conquistados nas urnas. 

A decisão foi acatada e dá a Max o direito de se manter no mandato até um próximo julgamento, dessa vez pelo TSE, em Brasília, dando desta forma a vitória para Max, que já anunciou a pré candidatura à Prefeitura de Nova Iguaçu e a decisão em Brasília só deve ocorrer depois das eleições, marcadas esse ano para novembro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!