terça-feira, 30 de julho de 2019

Polícia segue identificando vítimas de milícia em Queimados

Foto: Henrique Coelho/G1


Policiais do núcleo da DHFB (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense) segue as investigações sobre a milícia que atuava em Queimados. Grupo alvo de uma operação dia 18, que prendeu o ex-secretário de Defesa Civil Davi Brasil Caetano - também vereador eleito pelo Avante - e mais 20 pessoas no município. 

Após identificar duas vítimas que teriam sido exterminadas no dia anterior da operação, os investigadores chegaram a identificação de mais 20 vítimas do grupo, conhecido como Caçadores de Ganso. Todas essas identificadas segundo investigação da DHFB, através de fotos publicadas no Facebook de pessoas que foram mortas pelo grupo no período entre 2016 e 2017. 

Ainda de acordo com as investigações, o número pode ultrapassar a casa dos 100 homicídios, e muitas delas era discutida através de grupos de whatsapp. 

O número ainda de acordo com as investigações, aumentou depois de 2018, período em que os milicianos passaram a ocultar os corpos e atuarem de forma mais discreta. 

Os investigadores ainda acreditam que possam haver mais ossadas no mesmo local onde foi encontrado os dois corpos executados momentos antes da operação - local rural de Queimados. Existe ainda a possibilidade da existência de outros cemitérios clandestinos onde os investigadores acreditam estar mais corpos das vítimas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!