segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Operação de choque apreende charretes e animais

Redação - Começou na manhã desta segunda-feira (15) a fiscalização de transportes por tração animal no município de Queimados. Com o objetivo de cumprir a lei estadual n° 7.194/16, sancionada pelo governador Pezão, que proíbe o uso de animais de tração para transporte de materiais, cargas ou pessoas, a Prefeitura realizou uma operação de choque no bairro Nova Cidade. Parceria com o 24° BPM (Queimados), agentes das Secretarias Municipais de Ordem Pública , Transporte, Segurança e Trânsito e da Guarda Ambiental apreenderam charretes e recolheram animais vítimas de maus tratos. A lei põe fim a uma polêmica na cidade que é o de transporte de passageiros por tração animal.
O uso de animais para transporte é motivo de reclamações recorrentes de órgãos ligados à defesa dos direitos dos animais, moradores e comerciantes da região que denunciam cheiro forte de urina, fezes de animais espalhadas nas ruas, riscos de transmissão de doenças, falta de segurança adequada no transporte de pessoas, maus tratos, além de denúncia de trabalho infantil. Antes da fiscalização, o prefeito de Queimados, Max Lemos, se reuniu no último dia 27 com os representantes do serviço de transporte para comunicar a medida e oferecer vagas de trabalho nos serviços de conservação pública da prefeitura.
Dos mais de 40 charreteiros reunidos, somente quatro procuraram a Prefeitura e dois deles aceitaram a proposta. Eles ainda podem procurar a sede da secretaria de Assistência Social (Rua Eugênio Castanheira, n° 176 – Centro) até o fim desta semana. “Todos os interessados terão uma oportunidade de emprego nas áreas de conservação pública e limpeza urbana da própria Prefeitura. Os idosos como inspetores de disciplina das escolas. Queremos melhorar a vida das pessoas dando a elas um trabalho digno e remunerado. É uma chance que estamos proporcionando para que eles não fiquem sem o sustento de suas famílias”, destaca Max Lemos.
De acordo com o secretário de Transporte, Segurança e Trânsito, Elias José, o término das charretes é uma medida necessária para cumprir a lei. “Não queremos tirar o sustento de trabalhadores e pais de família, mas o fim das charretes é algo inevitável. Muitos animais não têm condições de trabalhar e recebemos denúncias de sujeira nas ruas ocasionada pelas fezes dos cavalos, além de ser um transporte irregular que coloca a segurança dos passageiros em risco. Por isso, o prefeito Max Lemos fez questão de se reunir com todos para propor uma solução em que eles não fossem prejudicados. No entanto, a maioria não aceitou trabalhar de carteira assinada na Prefeitura”, contou.
Animais serão examinados
Os animais recolhidos foram encaminhados para um curral conveniado com a Prefeitura e licenciado pela Secretaria de Estado de Agricultura. O local conta com veterinários que farão exames de sangue para Anemia Infecciosa Equina (AIE) e de Mormo – diagnóstico de infecção respiratória pulmonar - para avaliar as condições dos equinos. Os resultados dos exames saem em quatro dias úteis. Segundo o proprietário do curral, Daniel Brasil, os animais recém-chegados além dos exames de rotina exigidos pela Vigilância Sanitária também recebem doses de vacinas contra raiva e tétano.  Para retirar o animal, o dono deve pagar um valor a partir de R$ 475,00 (inclui exames de sangue, laçada, mais multa diária de R$ 25,00). Já as charretes apreendidas foram levadas para o depósito público municipal, no bairro Paraíso. Para a retirada das carroças, os responsáveis terão que pagar multa de aproximadamente R$ 46,71/diária.
Risco de doenças
De acordo com a Vigilância Sanitária municipal a circulação de cavalos sem o controle sanitário adequado pode ocasionar doenças aos moradores da região. Surgimento de vetores (moscas, mosquitos e baratas) por conta das fezes e urinas despejadas em via pública e o aparecimento de doenças como a raiva, leptospirose, febre maculosa e verminoses são alguns dos riscos a saúde pública por conta dos detritos dos animais. “Por diversas vezes me deparei com animais fracos, machucados, em situação de dar pena e não pude fazer nada. Finalmente, o primeiro passo foi dado para o fim dos maus tratos contra os animais”, comentou a moradora, Raquel Freitas, que já utilizou a charrete para ir ao posto de saúde da região.

Resultado de imagem para facebook


CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ACONTECE NA CIDADE:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!