sábado, 16 de março de 2013

Max Lemos vai liderar o movimento dos prefeitos do Estado do Rio à frente da AEMERJ em favor da manutenção dos Royalties do petróleo


Fotos: Felipe Carvalho
Dine Estela e Felipe Carvalho, Búzios: Com um discurso de união entre os municípios em prol da luta pela garantia dos royalties no Estado do Rio de Janeiro, o prefeito de Queimados, Max Lemos, tomou posse nesta sexta, 14, como presidente da AEMERJ - Associação Estadual dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro com muitos planos para o futuro, com base no apoio direto da associação. A solenidade de posse aconteceu no Hotel Blue Tree, Armação de Búzios. 

O ex-presidente da Associação Vicente Guedes, transferiu o cargo para o prefeito Max Lemos, ressaltando seu importante papel à frente de uma associação, que mesmo sendo recém-criada com apenas três presidentes, já se tornou importante para o crescimento das cidades. “Max Lemos é uma referência de gestão pública e será um divisor de águas, tanto para a cidade de Queimados, quanto para o Estado do Rio de Janeiro,” ressaltou.

A primeira ação do novo presidente será agendar uma reunião geral com todos os prefeitos e o governador Sérgio Cabral nos próximos vinte dias, para fortalecer o movimento para a manutenção dos recursos dos Royalties do petróleo para o Estado e, consequentemente, para os municípios. “Precisamos nos unir porque se a minha cidade, que não recebe muito royalties, vai sofrer se perder estes recursos e não terá como recolher e transferir o lixo para o aterro sanitário, imaginem as cidades que dependem efetivamente dos royalties para manter o crescimento e corrigir os problemas do êxodo rural, por exemplo”, finalizou o prefeito. 

Nova Diretoria da AEMERJ: presidente de honra: Eduardo da Costa Paes (Rio de Janeiro), presidente, Max Lemos (Queimados), vice-presidente, Rodrigo Neves Barreto (Niterói), secretário-geral, Vinícius Medeiros Farah (Três Rios), vice-presidente da Região Serrana, Pedro Rogério Vieira Cabral  (Nova Friburgo), vice-presidente da região do Médio Paraíba e  Baía da Ilha Grande, prefeito José Rechuan Junior (Resende), vice-presidente da Região Sul Fluminense, Anderson Bárcia Zanon (Sapucaia), vice-presidente da região Norte Fluminense, Aluízio dos Santos Junior (Macaé), vice-presidente da Região Noroeste Fluminense, Maria das Graças F. Mota (Bom Jesus de Itabapoana). 

No conselho fiscal foram eleitos: presidente, Luiz Antônio da Silva Neves (Piraí), 1º vice-presidente, Alessandro Alves Calazans (Nilópolis), 2º vice-presidente, Flávio Gomes de Souza (Aperibé). Na suplência ficaram: Marco Aurélio Sá Pinto Salgado (Eng. Paulo de Frontin), José Amaro Martins de Souza (São João da Barra) e Luiz Carlos Fernandes Fratani (São Fidelis). 

3 comentários:

  1. Queimados está precisando de outro prefeito, que tenha tempo de dar atenção ao municipio, pois um dia está em inauguração de casa de festas, outro em reunião da AEMERJ.
    Mas aqui no bairro da Paz ele não aparece para ver o transtorno que esta obra tem causado aos moradores.
    Obra que começou e parou, só aparecem aqui para fazer paliativos para minimizar os prejuízos.
    O povo votou em um prefeito para a cidade e não para acumular cargos e abandoná-la.

    ResponderExcluir
  2. Um povo corrompido não pode tolerar um governo que não seja corrupto. A sociedade não é mais do que o desenvolvimento da família: se o homem sai da família corrupto, corrupto entrará na sociedade. A população lincha o rato de praia, mas perdoa o corrupto com a desculpa: 'ele rouba mas faz'. O corrupto é o clone do ladrão. Eu não compactuo com gente que rouba e machuca os outros. Eu sou apenas um combatente . O fogo para o grande ladrão, o cárcere para o que rouba um pão.

    ResponderExcluir
  3. ESSA É RIVISTA FICA CADA VEZ MAIS TENDENCIOSA!!!!! PELO AMOR DE DEUS...

    ResponderExcluir

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!