sexta-feira, 22 de março de 2013

Baixada Fluminense receberá R$ 5 bilhões em investimentos nos próximos anos

Crédito: Divulgação
Redação, Rio- Cerca de R$ 5 bilhões em investimentos aguardam a Baixada Fluminense no período de cinco a 15 anos, em obras de infraestrutura, asfaltamento e construção de viadutos e estradas, além de saneamento. A injeção de recursos foi detalhada, nesta quinta-feira, no seminário “Visões de futuro: potencialidades e desafios da região da Baixada Fluminense”, que debateu as chances de crescimento da região. O evento, realizado em Nova Iguaçu, foi promovido pelo Sistema Firjan e apresentou projeções elaboradas por cerca de mil empresários, técnicos e prefeitos, entre julho de 2011 e agosto de 2012.

Uma das principais apostas é o Arco Metropolitano, estrada que vai cortar oito municípios, passando pela Baixada. Apenas nesta obra, será investido R$ 1,1 bilhão.
— Estamos correndo para entregar a obra do Arco até dezembro deste ano. No máximo, tudo ficará pronto em março de 2014. Há muitas empresas querendo se instalar ao longo do Arco e diversos programas habitacionais — afirmou o vice-governador Luiz Fernando Pezão, que participou do seminário.

Estudos do Sistema Firjan revelam que o Arco Metropolitano e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que está sendo construído em Itaboraí, vão gerar, no total, 22.500 novos oportunidades de trabalho na Baixada Fluminense.

Obras de saneamento

Do total a ser investido na Baixada, R$ 530 milhões serão para obras de saneamento. Entre as intervenções previstas, estão a ampliação e o aprimoramento do sistema de abastecimento de água tratada de Campos Elíseos, o término da duplicação da adutora principal da Baixada e a melhoria do fornecimento de água em Belford Roxo.

Outros R$ 58,6 milhões serão investidos no programa “Asfalto na Porta”, que vai pavimentar ruas de 14 cidades, como Nilópolis, Queimados, Belford Roxo, Paracambi, Seropédica e Duque de Caxias.
Luiz Fernando Pezão ressaltou a importância de investir na qualificação profissional para que os moradores da Baixada possam aproveitar as oportunidades de emprego que vão surgir.
Para o presidente do Sistema Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, o estudo da Baixada é uma iniciativa em prol do desenvolvimento sustentável do estado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!