quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Queimados promove coleta de óleo saturado durante carnaval

Crédito: Felipe Carvalho
O Município de Queimados é caracterizado por realizar o melhor carnaval de rua da Baixada Fluminense. A tradição foi mantida em 2013, com apresentações que contagiaram os milhares de foliões presentes na Praça dos Eucaliptos nos cinco dias de festa, destaques para os shows de: Elymar Santos, Fundo de Quintal, Tá na Mente, Péricles e Mumuzinho. Além de toda programação cultural, o festejo de momo no Município teve a marca da preservação ambiental. A Secretaria do Ambiente montou uma tenda, onde recolheu 160 litros de óleo saturado utilizados pelos barraqueiros e comerciantes, que serão levados para a Chácara IZKOR, uma ONG formada por estudantes de Gestão Ambiental, que destinará o material arrecadado para a produção de biodíesel, vernis, ração animal, massa de vidraça, sabão e uma série de outros produtos.

Segundo o Secretário Municipal do Ambiente, Alex Dornellas, o projeto de coleta de óleo para reciclagem se estenderá à rede municipal de ensino e em alguns pontos da Cidade. “Estamos seguindo as diretrizes traçadas pelo Prefeito Max Lemos que é trabalhar ativamente na preservação do Meio Ambiente e para isso a reciclagem é uma forte aliada. O armazenamento do óleo saturado no carnaval foi um sucesso, porque conseguimos conscientizar os barraqueiros a não despejar o óleo no solo, contaminando o lençol freático. Assim, a ideia é levar esta conscientização à rede municipal de ensino, onde os estudantes aprenderão a importância da preservação do meio ambiente e poderão levar para a escola o óleo usado de suas casas e instalar alguns ecopontos pelo município”, disse.

Marcelo Sepulveda se destacou com o armazenamento de 30 litros de óleo utilizado em sua barraca nos dias de folia. O barraqueiro ressaltou a importância de se preservar o meio ambiente. “Fiquei muito feliz com a iniciativa da Prefeitura de Queimados em realizar a coleta do óleo que a gente utiliza no carnaval. A destinação do resíduo para reaproveitamento é uma ferramenta importante para o processo da reciclagem e poder contribuir para a preservação do meio ambiente me deixa muito feliz”, disse.


O óleo de cozinha é altamente prejudicial ao meio ambiente e quando despejado na pia vai para a rede de esgoto causando entupimento, havendo a necessidade do uso de produtos químicos tóxicos para a solução do problema. Os prejuízos podem ser ainda maiores se atirados ao solo. O óleo impermeabiliza o solo, dificultado o escoamento das águas. Sem falar que um litro de óleo polui mais de 1 milhão de litros de água limpa, por um período de 14 anos. A contaminação da água encarece o processo e prejudica o funcionamento das estações de tratamento.

2 comentários:

  1. Parabéns Carlos Leandro, aluno de ciências ambientais da UCB ( Universidade Castelo Branco) um dos idealizadores do projeto na chácara Izkor e a prefeitura por ter abraçado o "PROJETO DESSE GRUPO DE ALUNOS AMBIENTALISTAS"

    ResponderExcluir
  2. Com certeza Carlos Leandro, um lutador merece parabéns!!!!

    ResponderExcluir

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!