quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Queimadense é destaque em matéria da "Revista Veja"

Genilton (direita) é destaque da matéria/ Foto: Veja
Um dos Queimadenses mais bem sucedido, o empresário Genilton Guerra foi destaque de uma matéria da Revista Veja esta semana. A matéria aborda o tema "Pessoas que enriqueceram e não largaram seus lugares de origem", fazendo alusão a Tufão, personagem de Murilo Benício na novela global "Avenida Brasil".


Leia a matéria na íntegra:

Cariocas que vivem como o Tufão de "Avenida Brasil"


Nascer no subúrbio, dar duro, escalar o alfabeto das classes sociais, enriquecer, cercar-se de luxos... e continuar no subúrbio. Parece coisa de ficção, de gente de novela como Tufão, o ex-jogador de futebol de Avenida Brasil que não arreda pé do fictício bairro do Divino, mas a opção pela periferia é mais comum do que se pensa entre aqueles que ascenderam ao topo. Na vida real dos subúrbios e das cidades da Baixada Fluminense, com suas casas inacabadas, ruas malcuidadas e comércio popular, são frequentes os casos de bem-sucedidos empreendedores que preferem permanecer onde sempre estiveram, só que com muito mais conforto e certo gosto pela ostentação. Ao contrário do jogador da novela que ficou milionário em pouco tempo, os Tufões de verdade foram criados em famílias pobres, não fizeram faculdade, montaram um negócio próprio, prosperaram de forma extraordinária e agora querem usufruir, com a avidez típica dos recém-chegados ao andar de cima, casarões, carros importados, joias e roupas de grife - claro, sem abdicar das conversas no botequim da esquina ou do churrasquinho com pagode nos fins de semana. No seu pedaço, são tratados como membros da realeza. "Não tem lugar nessas bandas da cidade em que não encontre algum amigo. Aqui sou mais conhecido do que nota de 2 reais", brinca o empresário Genilton Guerra, que por nada neste mundo larga Queimados, na região metropolitana do Rio.
Nascido e criado ali, Guerra, de 51 anos, sempre morou no mesmo ponto - só que, antes, numa casinha em terreno de 200 metros quadrados; hoje, numa casona que, só ela, ocupa 740 metros quadrados de um terreno quatro vezes maior. "Para Queimados ser o paraíso, só falta mesmo uma praia", exagera, com o mesmo ufanismo em relação às raízes que permeia o discurso das outras pessoas que ilustram estas páginas. Filho de militar e dona de casa, Guerra conta que, quando era criança, protegia os sapatos com sacolas de supermercado para ir à escola, de tanta lama que havia na rua (e ainda há). Graças ao pendor para consertar tudo em casa e a um curso de eletrônica feito depois de terminar o ensino médio, ele inventou e patenteou um sistema antifurto de energia elétrica que foi adotado por diversas fornecedoras. A invenção fez dele um homem rico. A primeira providência foi ampliar seus domínios: a tufaniana mansão atual conta com sala de cinema e academia, entre outros luxos. Embora não tire do pescoço o pesado cordão de ouro com medalha de São Jorge, exiba uma coleção de braceletes que lhe tomam o braço inteiro e se locomova em um BMW, Guerra não dispensa o ritual dos tempos em que contava cada centavo. Aos domingos, põe bermuda e chinelos e se demora na cerveja com os amigos. Às vezes, muda de ares - tem um apartamento na Barra da Tijuca e uma casa de praia no condomínio Portogalo, em Angra dos Reis, com lancha de 32 pés ("para pescar") atracada.

10 comentários:


  1. Hospital completa 20 anos sem obras em Queimados, na Baixada


    Monumento do descaso com o dinheiro público, o esqueleto do Hospital Regional de Queimados completa 20 anos. Idealizado para se tornar um centro de referência em cardiologia e neurologia para a Baixada Fluminense, deveria atender a 2,5 milhões de habitantes em nove cidades: Belford Roxo; Itaguaí; Japeri; Nilópolis; Nova Iguaçu; Paracambi; São João de Meriti e Seropédica, além de Queimados.

    A construção do hospital foi concebida pelo governo estadual e saiu do papel em agosto de 1990. No ano seguinte, a obra parou. Em 1993, foi municipalizada, mas sem que houvesse a sua retomada. Finalmente, em 2006, o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense (Cisbaf) assumiu a gerência do projeto, por intermédio o prefeito Rogério do Salão. O projeto previa 276 leitos e área construída de 16 mil metros quadrados no Jardim Pacaembu.

    Promessa presidencial

    A última promessa de inauguração foi feita no dia 20 de janeiro de 2008 pelo presidente Lula - que esteve no canteiro de obras em ritmo de campanha pela reeleição, do então prefeito Rogério do salão, com direito a palanque e claque de militantes, deputados, senadores e 11 prefeitos. Uma placa ali instalada pelo Ministério da Saúde anuncia o inicio da construção para o dia 3 de abril de 2009.

    Desde que saiu do papel, em agosto de 90, a obra já consumiu mais de R$ 23,4 milhões - sendo que R$ 13,5 milhões só para refazer o anexo, que, em 1996, custou R$ 8,45 milhões.


    Segundo a Prefeitura de Queimados, a culpa pela demora é atribuída à burocracia do Ministério da Saúde. Dos R$ 44 milhões prometidos por Lula, só R$ 23,5 milhões foram liberados.

    Procurado pelo EXTRA, o secretário da Saúde não respondeu às acusações.

    Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/hospital-completa-20-anos-em-obras-em-queimados-na-baixada-371826.html.ixzz274Vb75U6

    ResponderExcluir
  2. Epá inventou uma pinóia!!! Ele fez à mesma coisa que Bill Gates fez com Steve Jobs sendo que nesse caso o Steve Jobs dele sumiu! Ninguém nuca mais o viu...! Pra onde ele foi? A onde ele está? É só perguntar a ele cadê seu sócio nos tempos da vaca magra....!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aqui se faz aqui se paga . se ele tirou de alguém !?,alguém vai tirar dele ou da familia dele.

      Excluir
    2. Procura o Gilberto em Nilopolis que ele conta sobre quem inventou o parafuso...ganhou um carro por causa disso...

      Excluir
    3. Sempre viveu as custas dos outros...nunca trabalhou....pergunte ao antigo socio dele um gordinho ele pode explicar a verdadeira historia do roubo do parafuso que o sr GILBERTO de nilopolis inventou....nem lampada ele troca porque tem medo e ainda falou que fez curso de eletronia nem segundo grau ele tem, muito menos consertar as coisas em casa ele so nao e mais preguiçoso do que um bicho preguiça...!!!!!

      Excluir
    4. Ele nunca trabalhou so quem trabalhava era esse socio dele o gordinho....que levantou ele...gente e tudo uma farsa a vida desse Genilton é so levantarem o que ele deve (NÃO E POUCO NÃO) nas empresas se procurar acha ta quebrado vivendo de aparencia.....NÃO TEM DINHEIRO NEM PARA FABRICAR OS PARAFUSOS....

      Excluir
  3. Eu tive o prazer de conhecê-lo na campanha do seu filho Leo Guerra e ambos são pessoas muito simples que e não deixaram o dinheiro subir à cabeça. São pessoas muito humildes e simpáticas!

    ResponderExcluir
  4. só foram saber que eles existem en queimados na campanha eleitoral , quase todos os candidatos e os seus amigos só aparecem nesta época. os que dizem ter trabalho (social)(?) foram vistos anos anteriores fazendo ASSISTENCIALISMO no municipio. Bolsa Família sustenta 25% dos moradores da cidade
    Com uma renda per capita de R$ 6.946, metade da média brasileira, de R$ 14.183, segundo dados do IBGE de 2007-, Queimados é um município criado em 1989, desmembrado de Nova Iguaçu, outra cidade da Baixada Fluminense. De acordo com o prefeito da cidade, hoje são cerca de 11 mil famílias beneficiárias do Bolsa Família, o que significa cerca de 34 mil pessoas, ou quase 25% dos 139.378 habitantes do município (estimativa do IBGE de 2009) vivendo do benefício do governo, considerando a média nacional de 3,1 habitantes por domicílio apurada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE em 2009. FONTE: http://www.sinfrerj.com.br/icms-menor-atrai-industrias-para-queimados
    Quanto maior o nível educacional das pessoas, resultante do número de anos de estudos e da qualidade da educação recebida, maior tende a ser sua produtividade. Portanto, níveis educacionais mais elevados significam, em média, maiores níveis de renda. Desta forma, quanto mais igualitária a distribuição da qualidade da educação entre os diferentes grupos sociais, mais igualitária será a distribuição da produtividade e, portanto, menor a desigualdade de renda na sociedade. Em outras palavras, para reduzir a desigualdade de renda e a pobreza de forma estrutural EN QUEIMADOS é fundamental AUMENTAR a qualidade do sistema educacional.

    ResponderExcluir
  5. portal da transparencia en queimados não existe ( descumprimento da lei ?) qual e a explicação?!! , na baixada só o nosso municipio não disponibilizou tal acesso, o que estão escondendo da população ?

    ResponderExcluir
  6. Não tenho muito contato com Genilton, mas sei que ele é uma pessoa boa de coração, só quem realmente conhece sabe disso. Infelizmente a cidade de Queimados possuem "pessoas" muito invejosas, que trabalham há tantos anos e só pensam como empregados, não pensam em ser dono do próprio negócio, ou melhor, em ter pensamentos de crescimento, infelizmente que acaba pagando por isso são seus filhos, que acabam tendo com resultado pensamentos negativos dos pais, que sempre trabalharam e nunca pensaram em progredir na vida, e pensam que os ricos ou pessoas bem sucedidas dominam o tiram o dinheiro deles, todo o dinheiro ou riqueza esta a sua disposição, basta você querer, basta você ter um pensamento de que não adianta nada ficar na mesma reclamando da vida e tendo inveja dos outros, essa pensamento de inveja só ira atrapalhar ainda mais a sua vida. E se por acaso ele progrediu na vida sem seu próprio mérito, cabe a Deus resolver isso por ele, e que todos sabemos a justiça lá de cima nunca falha. Ouvi outro dia um empresário nascido e criado em Queimados, bem sucedido que é amigo da minha família, dizendo que nunca gostou de morar em Queimados, não por se importar pela inveja ou por pessoas dizendo que nunca progrediu pelo seu próprio mérito, mas não morava por que não via ninguém melhor do que ele para se inspirar e querer ainda mais. Esse é o problemas de algumas pessoas na nossa cidade, quando percebem que alguém esta progredindo na vida, não procura querer ser melhor ou querer ir mais além, ficam apenas na mesma, invejando e falando besteiras, e tragicamente nunca irão prosperar na vida.

    ResponderExcluir

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!