segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Empresa austríaca pode não vir mais para Queimados


A fabricante austríaca de produtos anti-incêndio RHI está repensando sobre os planos de uma nova fábrica no Brasil após o país ter aumentando os impostos de importação e introduzido medidas antidumping para proteger as fábricas nacionais e reanimar a economia brasileira.

A RHI havia anunciado um ano atrás que estava investindo inicialmente 85 milhões de euros (112 milhões de dólares) para construir uma fábrica em Queimados (RJ), que entraria em operação no terceiro trimestre de 2013.
Essa fábrica, que teve aprovação do governo no segundo trimestre deste ano, importaria algumas matérias-primas necessárias para produção.

"Não podemos manter nosso plano na forma original à luz do cenário alterado e mais oneroso. No entanto, estamos agindo rápida e flexivelmente com sucesso a longo prazo em mente", disse o presidente-executivo, Franz Struzl, nesta segunda-feira.

O Brasil adotou mais de uma dúzia de medidas de estímulo desde o desaquecimento da economia no fim de 2011, entre elas, aumento de tarifas sobre 100 produtos importados para proteger as fábricas brasileiras de uma invasão de produtos do exterior.

As alíquotas foram elevadas para em média 25 por cento, atendendo a decisão interministerial tomada pela Câmara de Comércio Exterior (Camex) e ficando abaixo do teto de 35 por cento estabelecido pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

Uma segunda lista contendo mais 100 produtos que também terão o imposto de importação elevado será anunciada em outubro.
A fábrica da RHI em Queimados foi planejada para produzir 60 mil toneladas por ano, das quais mais da metade iria para o mercado local e o restante se destinaria a outros países da América do Sul.


6 comentários:

  1. se isso realmente for verdade o municipio de queimados perdeu , e só uma pessoa ganhou com isso . se isso realmente for verdade o municipio de queimados perdeu , e só uma pessoa ganhou com isso . Negócio intermediado por prefeito no RJ tem lucro de R$ 9 milhoes em 5 dias

    A venda de terreno para instalação de uma fábrica austríaca em Queimados (RJ) rendeu lucro de R$ 9,2 milhões em apenas cinco dias a uma empresa fornecedora do município da Baixada Fluminense. Neste período, o valor da área passou de R$ 2,5 milhões para R$ 11,7 milhões.

    Os contatos para a negociação foram intermediados pelo prefeito da cidade, Max Lemos (PMDB).

    A companhia austríaca RHI comprou por R$ 11,7 milhões da empresa Jogasus a área de 980 mil m² para instalar fábrica de peças para a indústria siderúrgica, em novembro de 2010.

    Sede da empresa Jogasus, na Baixada Fluminense, que comprou área por R$ 2,5 mi e vendeu por R$ 11,7 milhoes
    Cinco dias antes, o mesmo terreno havia sido comprado pela Jogasus --que é uma pequena empresa de construções de Duque de Caxias-- por apenas 21% desse valor.

    A Folha foi avisada da contratação por uma mensagem ao Folhaleaks, canal criado pelo jornal para receber informações e documentos.
    A Jogasus diz que acertou a compra do terreno cinco meses antes, mas só formalizou na véspera de revendê-lo. A RHI diz que o valor pago foi semelhante ao de terrenos vizinhos.
    COMPRA E VENDA
    A história da triangulação comercial começou em abril de 2010, quando João Ferreira de Jesus, procurador da Jogasus, foi apresentado pelo prefeito --seu conhecido desde a década de 90-- a um dos donos do terreno, José Augusto Vereza.

    No fim de junho, a austríaca RHI procurou o prefeito Max Lemos pedindo que indicasse um terreno para instalar sua fábrica. O político indicou o mesmo terreno que havia apontado à Jogasus, cuja compra ainda não havia sido formalizada.
    Algumas semanas depois, João Ferreira entrou em contato com a empresa austríaca para iniciar as conversas.
    As duas partes afirmam, no entanto, que a família Vereza já estava comprometida com a venda e o preço acertado pelo patriarca.
    Representantes dos antigos proprietários negam a informação e dizem que desconheciam a participação da RHI na negociação.
    A primeira venda, para a Jogasus, foi formalizada em 4 de novembro, por R$ 2,5 milhões. Em 9 de novembro, foi feito o repasse à RHI, por R$ 11,7 milhões.
    Em abril de 2011, o terreno foi beneficiado pela ampliação do distrito industrial de Queimados, o que concedeu benefício fiscal à empresa, como isenção de IPTU e redução na alíquota de ICMS.
    A empresa Jogasus, com sede em Duque de Caxias, passou a ter contratos com a prefeitura de Queimados a partir da gestão de Lemos.
    OUTRO LADO
    O prefeito de Queimados, Max Lemos (PMDB), afirmou que apenas apresentou investidores a proprietários de terrenos, sem participar da negociação que gerou lucro de R$ 9,2 milhões à empresa fornecedora do município(?).

    "Se você me perguntar, eu lhe digo: foi um lucro absurdo. Mas é essa valorização que está ocorrendo na cidade. Se a RHI quiser vender hoje, há quem compre por cinco vezes o que ela pagou."
    Ele afirmou que não participou da negociação do terreno. Segundo Lemos, seu único objetivo foi fomentar o desenvolvimento da cidade.
    "Não trato de operação imobiliária. Meu interesse é agilizar os contatos para trazer investimentos para a cidade", disse o prefeito.
    Lemos negou relação entre os contratos que a empresa Jogasus têm com a prefeitura e o lucro na transação. "Ela participa de licitações e faz algumas obras. Não é uma grande fornecedora."
    O procurador da Jogasus, João Ferreira de Jesus, afirmou que o valor da transação já estava decidido em junho, quando um dos proprietários morreu. Ele diz que pretendia utilizar o terreno, mas vendeu em razão da boa proposta. "É algum crime fazer um bom negócio?"
    fonte :http://www1.folha.uol.com.br/poder/987788-negocio-intermediado-por-prefeito-no-rj-tem-lucro-de-r-9-mi-em-5-dias.shtml TIREM SUAS DUVIDAS ISSO SE AINDA TIVEREM.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O PREFEITO ATUAL DEVERIA INVESTIR NA EDUCAÇÃO, ISSO SIM E PROGRESSO PARA O ATUAL NIVEL QUE SE ENCONTRA O MUNICIPIO !! ELE NÃO RESIDE E NÃO TEM FILHOS EN ESCOLAS DE QUEIMADOS NEM O CARRO DELE(1515) É EMPLACADO EN QUEIMADOS QUEIMADOS , ELE SÓ RETIRA DE QUEIMADOS SÓ AGE EN BENEFICIO PROPRIO GANHANDO DINHEIRO COMO CORRETOR DE TERRAS. NOS O PAGAMOS E ELE NÃO DEIXA UN CENTAVO EN QUEIMADOS , ACORDA!, QUEIMADENSES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      Quanto maior o nível educacional das pessoas, resultante do número de anos de estudos e da qualidade da educação recebida, maior tende a ser sua produtividade. Portanto, níveis educacionais mais elevados significam, em média, maiores níveis de renda. Desta forma, quanto mais igualitária a distribuição da qualidade da educação entre os diferentes grupos sociais, mais igualitária será a distribuição da produtividade e, portanto, menor a desigualdade de renda na sociedade. Em outras palavras, para reduzir a desigualdade de renda e a pobreza de forma estrutural EN QUEIMADOS é fundamental AUMENTAR a qualidade do sistema educacional. BOLSA FAMÍLIA sustenta 25% dos moradores da cidade
      Com uma renda per capita de R$ 6.946, metade da média brasileira, de R$ 14.183, segundo dados do IBGE de 2007-, Queimados é um município criado em 1989, desmembrado de Nova Iguaçu, outra cidade da Baixada Fluminense. De acordo com o prefeito da cidade, hoje são cerca de 11 mil famílias beneficiárias do Bolsa Família, o que significa cerca de 34 mil pessoas, ou quase 25% dos 139.378 habitantes do município (estimativa do IBGE de 2009) vivendo do benefício do governo, considerando a média nacional de 3,1 habitantes por domicílio apurada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE em 2009. FONTE: http://www.sinfrerj.com.br/icms-menor-atrai-industrias-para-queimados

      Excluir
  2. Já disse e repito não existe 32 empresas no DI de Queimados.. Ao todo são 13 sete deixadas pelo Rogério e 06 inauguradas na gestão do MAX...WWW.ASDINQ.org.br. Essa história de 32 empresas é MENTIRA, são aquisições de terrenos que podem ou não virar empresas, que podem ou não serem vendidos quando a empresa quiser, é patrimônio dela, adquirido com o apoio e intervenção direta do prefeito. O que sustenta queimados é o comércio que não recebeu incentivo algum, nada, estão a míngua e fechando. sem segurança tem lojas que estão sendo assaltadas duas vezes ao mês... Enquanto o prefeito mente e mente e mente....O pior cego é aquele que não quer ver.......

    Sergio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo plenamente com você Sr. Sergio...! Nossa cidade está a deriva, estão vindo alienígenas de todos os lugares que você possa imaginar p/concorrer aqui nesta cidade, temos que nos manifestar de qualquer maneira..! Agradeço a oportunidade que essa revista local nos dar, pois é o único meio que temos para dizer ao povo queimadense o quê realmente está acontecendo.


      H. Romeu Pinto.

      Excluir
  3. Vocês não sabem que essa revista é chapa branca..Apoia o atual prefeito e sua corja...

    ResponderExcluir
  4. O prefeito max só quer encher o bolso dele comprando terrenos para vender para empresários e depois viver no luxo da barra e nós sem saúde e educação do jeito que está

    ResponderExcluir

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!