Rio -  Com 21 empresas em funcionamento e outras 15 em fase de instalação, o município de Queimados, na Baixada Fluminense, espera chegar ao final do ano com oito mil postos de trabalho em atividade. Todas as companhias estão localizadas no Distrito Industrial, às margens da Rodovia Presidente Dutra e a seis quilômetros do Arco Metropolitano, estrada que ligará o Porto de Itaguaí ao município de Itaboraí. “Em breve, o número de indústrias passará para 36, pois temos 15 fábricas em fase de implantação e negociamos a vinda de mais 14”, afirma o prefeito Max Lemos.
Fornecedores e representantes de indústrias participam de uma rodada de negócios em Nova Friburgo | Foto: Divulgação
Fornecedores e representantes de indústrias participam de uma rodada de negócios em Nova Friburgo | Foto: Divulgação
Segundo ele, a expansão econômica do município está sendo possível graças à implementação de uma política de incentivo fiscal, com a redução do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), de 19% para 2%, além de oferecer isenção de 10 anos dos tributos municipais (IPTU, ISS e alvará). “Tudo isso deve aumentar a receita do município para R$ 16 milhões até 2013, quatro vezes mais que a atual”, comemora o prefeito.
Além da localização privilegiada, o DI de Queimados possui sistema de abastecimento de água, telefonia de fibra ótica e uma subestação de energia elétrica para atender aos novos empreendimentos. Entre os diversos produtos ali fabricados, encontram-se blocos de cimento,utilizados na construção do estádio do Maracanã, argamassa, cosméticos, cabos navais de fibra sintética e os de poliéster para amarração offshore.
Presidente da Associação das Indústrias do DI de Queimados e diretor comercial da Multibloco, Marcelo Kaiuca diz que a rodada de negócios é importante para desenvolver ainda mais o potencial econômico da cidade e do estado. “Acredito que vai ser um sucesso, pois dá oportunidade para promovermos compras dentro do próprio estado”, afirma o diretor.
Desde 2007, em todo o estado já ocorreram 60 rodadas de negócios, programa coordenado pelo Sebrae/RJ, Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços(Sedeis), Fecomércio e Firjan.
‘É a hora de vender o seu peixe’
Gerente da Área de Acesso aos Mercados do Sebrae/RJ, Marcelo Weber explica que a rodada de negócios dá ao fornecedor a possibilidade de ficar diante de um comprador em potencial. “Se ele fizer uma boa apresentação e uma boa proposta de preço, provavelmente fechará uma venda num contato posterior”.
A troca de informações entre as empresas é importante, destaca o gerente do Sebrae/RJ, Marcelo Weber | Foto: Divulgação
A troca de informações entre as empresas é importante, destaca o gerente do Sebrae/RJ, Marcelo Weber | Foto: Divulgação
Weber lembra que, além de alavancar novos negócios, as reuniões servem para as empresas-âncoras descobrirem o potencial do Rio Janeiro. E, com isso, evitar a compra em outros estados.
“Os encontros são de 15 a 20 minutos. É o momento para o fornecedor sentar e conversar pessoalmente com uma grande empresa. Ele tem que estar preparado para vender o seu peixe”, ensina o executivo.
Matéria: Jornal O dia