quarta-feira, 18 de julho de 2012

Polêmica: Médicos e enfermeiros vão ao MP contra chip em jaleco que será usado em UPA de Queimados


UPA Queimados - Foto: Mundo da Imagem

Leandro Machado, Rio- Os sindicatos dos médicos e dos enfermeiros do Rio de Janeiro vão entrar com representações no Ministério Público do Trabalho contra os chips implantados em jalecos de funcionários da UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) de Mesquita, da rede estadual de saúde. A medida adotada pela direção da UPA visa controlar a frequência dos 150 servidores e evitar o desvio de materiais. 



Segundo a presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Monica Armada, essa é uma atitude arbitrária dos gestores da unidade.

— Que País é esse que as pessoas têm que ser monitoradas por um chip? Qualquer dia estarão colocando um chip embaixo da pele das pessoas. É uma perseguição às pessoas que estão trabalhando. E também acho que não vai funcionar efetivamente. Um jaleco eu posso trocar com você. 



De acordo com o presidente do Sindicato dos Médicos, Jorge Darze, a medida viola a dignidade da pessoa.

— Do ponto de vista da Constituição, o cidadão tem direito à dignidade. Nosso entendimento é que iniciativas dessa natureza, longe de representar o interesse público e a melhoria das condições da saúde pública, se assemelham a regras de regimes autoritários. Não é possível conviver com uma situação desse tipo. 



Darze disse ainda que, além de entrar com a representação no Ministério Público, o Sindicato dos Médicos encaminhará um documento à OIT (Organização Internacional do Trabalho) sobre a situação. 

A UPA de Mesquita, na Baixada Fluminense, é administrada por uma organização privada chamada Instituto Data Rio, em nome da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro. De acordo com a Secretaria de Saúde, há uma preocupação de não deixar a população “desassistida” pela ausência de médicos e outros profissionais de saúde. A tecnologia será estendida à UPA de Queimados e a duas UPA's de Nova Iguaçu, que também serão administradas pelo Instituto Data Rio.


Fonte: R7.com

2 comentários:

  1. Quem não deve não teme...acho justo essa ideia...só assim terá material suficiente para trabalhar...as infermeiras não teram mas desculpas esparrapadas dizendo..não temos material..

    ResponderExcluir
  2. pelo menos irao acabar com aquela historinha de "" nao tem medico ""..como ja vi deiversas vezes em queimados e em cabuçu.no entanto,conforme relatos de pacientes que ja estavam na uppa,havia sim...muitas dessas upas sao adiministradas por bombeiros....ja viu no que dá...

    ResponderExcluir

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!