quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Caminhada contra intolerância religiosa reúne multidão em Copacabana

Representantes de várias religiões estavam presentes no evento. Grande maioria de religiões afro. Arlindo Cruz faz show de encerramento


Leandro Machado, Rio- Milhares de fieis de várias religiões se reuniram neste domingo (18) para participarem da 4° Caminhada contra a intolerância religiosa, em Copacabana, no Rio. Desde as primeiras horas da manhã de domingo, religiosos começavam a se concentrar na orla da praia.

Aos poucos, a multidão tomou conta das ruas, com um propósito: manifestar a sua fé, sem serem discriminados. Candomblencistas, Umbandistas, Católicos, Judeus, Muçulmanos, Protestantes, entre várias outras religiões, caminharam pelo fim do preconceito religioso. Em maioria, os crentes de religiões afro dominavam a passeata. Grupos de candomblé e umbanda de todo o brasil fizeram suas caravanas para participarem do evento. Nos trios elétricos, músicas de várias religiões eram tocadas, mas a multidão ia ao delírio quando eram tocadas músicas de umbanda e candomblé.

O gurú nigeriano Dhakti Dhira Damodara, líder dos hare krishnas no Brasil, disse ser motivado a participar desta manifestação popular, pois não existe religião exclusiva de Deus: "Somos todos iguais, mas com pensamentos diferentes, por isso várias religiões. Podemos nos achegarmos a Deus de várias formas. Não tem uma religião melhor que a outra".

O babalawo Ivanir dos Santos, representante da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), disse que a cada edição a caminhada tem mais adeptos,pois a sociedade está se conscientizando que podemos ter diferentes pensamentos, mas sempre respeitando uns aos outros. Ivanir disse ainda que, hoje, o Brasil dá exemplo para religiosos de todo o mundo : Aqui no Brasil nós mostramos o que é fé. Enquanto lá fora eles morrem e matam em nome de Deus, aqui nós caminhamos juntos.

Vários políticos compareceram na caminhada. Os deputados, Carlos Minc (PT-RJ) e Jean Wyllis (PSOL-RJ) estiveram no meio da multidão. Carlos Minc, que tem um centro contra o racismo e anti-semistismo,quer um basta na intolerância e, a cada caminhada, ele vê evolução na sociedade.

- Estou aqui desde a primeira caminhada. O Brasil não tem mais espaços pra este tipo de preconceito. Como pra qualquer outra discriminação.

O cantor Arlindo Cruz se apresentou para a multidão no final da caminhada. Os religiosos cantaram com o sabista que tem ligação com candomblé.

Dois grupos de candomblé de Queimados foram até Copacabana pra participarem do evento. No total, foram mais de 100 queimadenses, que foram em três ônibus para a caminhada.

Foto: Sérgio Ricardo Silveira

Multidão toma conta das ruas de Copacabana. Religiosos queimadenses foram caminhar pela liberdade religiosa

Pastor protestante critica duramente movimentos evangélicos

O pastor presbiteriano, Marcos Amaral, lider da congregação de Jacarepaguá, criticou duramente denominações evangélicas que não aderem a manifestação. O líder religioso disse que, paras as igrejas evangélicas, não é benéfico participarem de eventos como estes, pois eles querem dominar a sociedade: "Hoje, eles não querem mais atrair os fieis para seus templos. Eles querem dominar os meios de comunicações, a política, enfim, a sociedade". O pastor ainda disse que não sofre intolerância, pois seu segmento religioso é muito pequeno: Nós, Presbiterianos, somos apenas 0,5% da sociedade brasileira. Isto não é ameaça para eles. O religioso também fez questão de enfatizar que a sua denominação não faz parte do mesmo ciclo religioso dos demais evangélicos: " As pessoas confundem. Nós, presbiterianos, somos protestantes; Eles são evangélicos ou neoprotestantes. Nada temos com eles".






Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!