quarta-feira, 27 de julho de 2011

Organização do Jogos Militares ganha medalha de Ouro

Brasil conquista 114 medalhas, termina em primeiro, e deixa um legado para próximos eventos esportivos no Rio.

* por André Luiz Cardoso


A descontração tomou conta do Estádio João Havelange, neste domingo, na cerimônia de encerramento dos V Jogos Mundiais Militares. Os mais de cinco mil atletas que ao longo da semana brigaram por medalhas transformaram o adeus à maior edição dos Jogos em uma grande festa no gramado do Engenhão antes do momento mais aguardado da noite: a passagem do fogo simbólico para a cidade de Mungyeong, na Coreia do Sul, que receberá a competição em 2015.
Foto: Sergio Ricardo Silveira.

Uma das mais animadas durante o desfile, a delegação brasileira tinha motivos de sobra para comemorar: o país obteve seu melhor desempenho na história da competição ao terminar em primeiro lugar no quadro de medalhas, com 114 conquistadas (45 de ouro, 33 de prata e 36 de bronze), superando a potência China.
A delegação brasileira era só alegria. Foto: Sergio Ricardo Silveira.

A superação foi uma marca dos atletas brasileiro nesses jogos, como fez questão de destacar o presidente da Comissão Desportiva Militar Brasileira, Vice-Almirante Bernardo José Gambôa. Para ele, o maior legado foi a superação é o ótimo resultado nas competições:

"Nós nos preparamos muito bem. Estamos treinando e disputando competições oficiais do há dois anos. O maior legado desses Jogos são nossos atletas, que mesmo sendo muito jovens tiveram disciplina e gana para conquistar bons resultados. Eles estão aptos a ajudar nosso país nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e, quem sabe, de 2016, no Rio”, analisou o Vice-Almirante Gambôa.

Já para o presidente do CISM (Conseil International du Sport Militaire), Coronel Hamad Kalkaba Malboum, o destaque foi a organização dos Jogos da Paz:
" Espero que a estrutura montada para os Jogos tenha continuidade com o programa de formação de atletas no Brasil. Os Jogos da Paz abriram uma nova era e o Brasil provou que está preparado para organizar grandes eventos. O público também ajudou muito durante os Jogos e entendeu a mensagem de paz que o evento carrega”.


A organização do evento também foi destacada pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, durante um breve discurso na festa de encerramento, elogiou a organização dos Jogos Mundiais Militares e pediu um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da tragédia na Noruega, na última sexta-feira:

" É uma honra para o Brasil sediar uma competição dessa magnitude. Quero agradecer a todos os que trabalharam e se dedicaram aos Jogos da Paz. Lembro aqui o lema do CISM: amizade através do esporte e fair play entre os competidores”, disse Jobim. "Levem consigo boas recordações do Brasil”.

Em seguida, teve início a cerimônia de passagem dos símbolos dos Jogos do CISM e uma apresentação de grupos culturais da Coreia do Sul, sede dos próximos Jogos. O destaque foi uma demonstração de um grupo de Taekwondo, esporte criado no país.
Linda homenagem feita aos torcedores brasileiros. Foto: Sergio Ricardo Silveira.

Na sequência, a apresentadora Glenda Koslowski subiu ao palco do Engenhão e, acompanhada de Arion, comandou uma contagem regressiva que antecedeu o apagamento da pira dos Jogos. A apresentadora então anunciou o início do show de Jorge Benjor, que encerrou a noite em grande estilo, com mais uma queima de fogos para o delírio do público.
Glenda Koslowski no palco e no telão do Engenhão. Foto : Sergio Ricardo Silveira.

* Professor da eletiva de Jornalismo Esportivo e Editor da Rede FPG, na cobertura dos Jogos Militares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!