quarta-feira, 28 de abril de 2010

Rio D'ouro: Um paraíso esquecido e abandonado

Antes conhecido pelas belas cachoeiras, hoje  o bairro vive com o descaso público


LEANDRO MACHADO, RIO- Muitos moradores da Baixada Fluminense, se não foram, já ouviram falar de um bairro chamado Rio D'ouro. Um bairro conhecido por seus rios e cachoeiras, por sua tranquilidade e bem- estar, que sempre atraíram turistas para a região. Segundo a AMORDA(Associação de moradores de Rio D'ouro e adjacências), o bairro, juntamente com Jaceruba, outro famoso bairro da Baixada, chega a receber no verão cerca de meio milhão de banhistas e turistas. Porém, tão conhecido como as águas da cachoeira, são os problemas enfrentados no dia-a-dia pelos moradores do bairro. Os problemas são tantos que fica difícil saber qual abordar primeiro.

Se um visitante tem a intenção de conhecer o bairro, o primeiro obstáculo a ser vencido é a má conservação das estradas. Foi grande a dificuldade da nossa equipe de reportagem para chegar ao local. Os muitos buracos e lamas das pequenas ruas que dão acesso ao lugar, quase impossibilitam um carro de passeio chegar ao destino sem ficar atolado ou ter problemas mecânicos. Segundo os moradores, quando é período de chuvas, os ônibus param ou ficam sem horário certo, o que faz os moradores que trabalham em outras cidades, ficarem sem transportes para trabalhar. Os turistas que encontramos no bairro também reclamam da demora dos ônibus com destino a Rio D'ouro. Segundo a dona de casa Neusa Maria, moradora de Nilópolis, ela ficou mais de uma hora esperando o transporte para chegar ao bairro. Ela até pensou em desistir: " Se você perder esse tempo pra ir e pra voltar, a família não aproveita quase nada", disse a banhista que sempre vai à cachoeira com a família.


A principal rua do bairro cheia de lama e buracos

Para os moradores a situação é ainda pior. Três prefeituras dividem o bairro e, quando são cobradas pelos moradores, sempre jogam o problema pra outra. Queimados, Japeri e Nova iguaçu são os municípios que têm "olho grande" pelo domínio do bairro. Dona Arminda diz que fica confusa em relação ao município pertence o bairro: " Queimados é mais perto, mas pago impostos em Japeri e voto para Nova Iguaçu. É uma confusão danada". A senhora, que mora a mais de quarenta anos na comunidade, disse ainda que os moradores preferem Queimados, por causa da proximidade do bairro(cerca de nove quilômetros até o centro do município), mas, até hoje, nada foi feito para a mudança definitiva.



Por falta de coleta, os lixos são jogados nas ruas

Hoje no bairro não há coleta de lixo e muitas casas não têm saneamento. Muitos esgotos são jogados no rio que é preservado pelo IBAMA.  A prefeitura de Japeri, por algum tempo, mandava um caminhão semanal para a coleta, mas isto não acontece mais. Por isso, é comum ver nas ruas muitos lixos jogados, atraindo ratos e outros tipos de animais para os becos do bairro.
A praça que foi construída pela Prefeitura de Japeri há mais de 10 anos, já não existe por falta de conservação. As crianças não têm lazer e, quando querem brincar, improvisam uma quadra de esportes na única escola do bairro ou se "divertem" nas ruas cheias de barro e lama. E se ficarem doente a situação fica pior. Além da distância do o hospital mais próximo, o atendimento no único posto de saúde é precário. Faltam médicos e remédios. A prefeitura de Japeri, há 10 anos, construiu um posto de saúde, mas nunca teve atendimento. Os moradores esperam a inauguração até hoje. O lugar está coberto de mato e, segundo moradores, serve como ponto de encontro para sexo e uso de drogas.


A "praça" cheia de mato e lixo

Na entrada para a tão famosa cachoeira, a cabine que deveria ter um guarda ou vigia para proibirem a entrada de estranhos, afinal, o lugar é uma reserna biológica, está completamente deserta. Com o acesso liberado, o lugar está cheio de lixo e restos de oferendas religiosas. Quem quiser tomar um banho, terá que dividir espaço com animais e um cheiro muito desagradável.


Restos de oferendas poluem um rio da Reserva Biológica do Tinguá
Os problemas são antigos e, até hoje, os moradores sofrem com o descaso dos políticos, que só prometem. Por falar neles, esse ano eles aparecem por lá, pois é ano de eleição. Pena que depois sumirão de novo e os buracos, lixos e descasos continuarão fazendo parte do bairro.

10 comentários:

  1. Excelente matéria passei grande parte de minha infância e juventude em Rio D'ouro tenho muitos amigos e parentes por lá, fico muito triste ao ver que o local teve pouca evolução positiva e se encontra praticamente abandonado, mas creio que atitudes como essa reportagem ajudem a sensibilizar as Prefeituras (já que são três) a da mais atenção para que Rio D'ouro volte a ser o paraíso que foi um dia.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado ,pela sua reportagem ,gostaria muito que as autoridades responsaveis pelo nosso bairro a leiam ,pois nois moradores sofremos descasos por três prefeituras ,queimados,n.iguaçu,e japeri

    ResponderExcluir
  3. Realmente a situação é complicada, mas atitudes como essa podem reverter a situação. A população também precisa ser mais unida e lutar por seus objetivos e, se preciso recorrerem aos órgãos estadual e federal

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Meu irmão !
    Excelente matéria ^^

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Meu irmão !
    Excelente matéria ^^ ..Luan Mendonça aqui !

    ResponderExcluir
  6. Saudades....Lembro-me do tempo queum grupo de crianças íamos a pé,de bicicleta,de onibus todo empoeirado,reuniam familias,enfim uma área de lazer que infelizmente neste paraiso ecológico,esquecido,abandonado,e ociosos pelos Poderes Publico,a montante da Serra do Tinguá uma Mata Atlântica de uma biodiversidade de fauna e flora tão rica que denomina um pedaço da Amazônia Fluminense,Existe a montante(acima) uma captção da Cedae,um curso hidrico com seções tranversais variáveis que represam sua nascente. É lamentável tanto dinheiro público gastos,e os Projetos ambientais de revitalização de nascentes,coleta do lixo, e o curso hidrico em toda sua extensão não é respeitado pelo Código Ambiental FMP ( Faixa Marginais de Proteção).Possuo um Estudo e projeto de REVITALIZAÇÃO elaborado ao conceito de normas Ambientais,juntamente com um Termo de Conduta,entre Ministério Público, Poderes Executivos( Queimados,Nova Iguaçú e Japeri), IBAMA,INEA, Sociedade Civil e Entidades Governamentais. Respeito ao Ambiente em que vivemos, devem ser respeitado para futuras e novas gerações. Art. 23 da Constituição Federal.

    ResponderExcluir
  7. É lamentável, triste ler essa matéria sobre um lugar MARAVILHOSO que conheço há mais ou menos 50 anos e pelo que foi dito continua do mesmo jeito ou até pior...

    ResponderExcluir
  8. Muito se tem discutido, recentemente, acerca do Rio D`ouro, mais essa Bairro n está totalmente esquecido, moro aqui em desde 19 anos, e até q esta se ajeitando em pouco em pouco, já colocarão o asfalto, e esta se ajeitando com outras coisas como: mercados, padarias, postos, etc mais o q se acabou devido muito despacho nojento e todo os restos,foi o rios, e esses Politicos nem liga, um bem muito importante,muito rico, ainda mais nos dia de hoje, nem se importam, o q nós queremos, é que tomem uma providência, e q contratem um guarda ou chame a policia ambiental, ou qual quer qui seja, só queremos o nosso rios de volta!!

    ResponderExcluir
  9. Tuninho Rodrigues2 de jun de 2017 21:00:00

    Não infância eu ia de Austin ao Rio D'Ouro de charrete com meu pai. Me lembro da felicidade das pessoas, do rio com suas pedras lisas e arredondadas, a vegetação exuberante, do trenzinho de madeira puxado pela maria fumaça... uma pena.

    ResponderExcluir

A Revista Queimados é o maior veículo de comunicação da cidade!!!